Harmony Clean Flat Responsive WordPress Blog Theme

Resenha: Fake - Felipe Barenco #LeituradeVerão

17:54 Gisele Dute 18 Comments Category : ,


Então, eu li Fake. Querem saber o que eu achei? 
Vamos lá!

SINOPSE
"Fake" é um ya nacional com temática gay. Conta a história de Téo, que está prestes a completar vinte anos e acabou de passar para o curso de Direito. Não bastasse a euforia em começar a faculdade, ele se apaixona por Davi, um garoto que chegou ao Rio de Janeiro para ser ator.

Vou confessar que comprei o livro esperando muito dele e sabem o que aconteceu? Fiquei super decepcionada. 


A primeira página do livro é sensacional. Sério! Mas, depois dela tudo fica muito ruim.

O principal problema do livro é a forma que foi escrito. Sabem aquelas fanfics ruins que você ler e passa longe? Esse livro parece uma dessas.
Nem consigo colocar em palavras, então, colocarei em imagens:


O Marca Página e meu cachorro são o melhor da foto.
PRA QUE ISSO GENTE? NÃO SABE ESCREVER DIREITO???? 

Isso é forma de colocar interrupção de fala??? 

E esse RRRRRRRR que fica aparecendo toda hora? E a fala riscada?
Eu não aguentava mais ler AmoRRRR

Qual a necessidade disso?

"- Não dorme em casa há dois dias, minha Nossa Senhora! - exclamou Clarice.
- Deixa ele, o menino é novo! Tem que aproveitar! - rebateu Eleonora."

Não ficaria bem melhor?

Não irei nem comentar. 

Toda hora tinha uma palavra em Caps Lock.
PRA QUE????? 
 Para finalizar com chave de ouro esse amontado de fotos:

O QUE É ISSO GENTE? ALGUÉM ME EXPLICA???? 

Mas pelo menos a história e os personagens são legais?


A minha resposta é NÃO



Um bando de personagens chatos e mal desenvolvidos. Pra não dizer que estou sendo crítica demais, os melhorezinhos são o Guilherme e o Tiago, porém nada grandioso. 
A história não é profunda e mesmo tendo com pano de fundo o HIV nada é emocionante ou tocante. O autor simplesmente não escreve bem.
E para piorar: o livro é Bifóbico. O Téo fala que essa coisa de bissexual não existe e que é coisa que pessoas indecisas e covardes falam para não assumir a sexualidade. 
Infelizmente é perceptível que essa é a visão do autor e não somente do personagem.

Vou parando por aqui. Já escrevi demais.
Nem preciso falar que não recomendo, né?



Nota: (1) 







RELATED POSTS

18 comentários

  1. Poooxa, é sempre chato quando a gente espera muito de um livro e ele decepciona a gente. Não entendi a necessidade de metade das coisas que você fotografou.
    E, sinceramente, que vergonha essa da bifobia. Mais triste ainda por se tratar de uma história voltada para um público que com certeza vai se sentir atingido por isso.
    Mas, enfim, adorei a resenha. Espero que encontre livros melhores (vai encontrar, né). Até maais \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jorge <3

      Eu comecei a ler o livro e depois logo fiquei chocada. Por isso que tirei as fotos.

      Tenho fé que o próximo livro será sensacional!

      Beijos.

      Excluir
  2. Pode ser loucura, mas a base de escrita me irritou muito mais do que O Will Graysson escrito por David Levithan! ( sério, tio, o que custava usar letra maiúscula?!) Pelo menos Will & Will se salva em conteúdo, é um livro tão lindo <3 Enfim, eu estava empolgada pela capa tão bonita ( me julguem!).É uma pena o enredo não ser tão bom quanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquelas letras minúsculas me dão pesadelos até hoje, haha! Mas, como você disse, o conteúdo salva.
      esse nada pode ser salvo.

      Excluir
  3. Fiquei curiosa para ler sua resenha quando vi no facebook, mas nossa, não imaginava que o livro fosse assim! Sério, é muito pior que uma fic mal feita, o autor simplesmente não sabe escrever e elaborar uma história! Qual o motivo de ter elementos de internet no meio do diálogo? Ele não sabe descrever a emoção dos personagens, sua fisionomia? Fora esse texto meio teatral, que na minha opinião é péssimo, sem cabimento para um livro...

    Enfim, é uma pena mesmo, se o autor quer mesmo ser escritor, mas um escritor de verdade, primeiro precisa urgente rever seus conceitos, pesquisar como criar um texto e estudar muito, pois criar um livro exige trabalho, dedicação e elaboração, não é escrevendo qualquer coisa de qualquer jeito.

    Beijos,

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sammy, suas palavras expressam tudo que eu senti.
      Falta muito ainda para esse autor. Na verdade, falta tudo.

      Obrigada por comentar.
      Volte sempre.

      Excluir
  4. vou te confessar que eu pensei "poxa, deve ser o jeitinho de escrita, escrever um livro não tem regra de como é e deve ser" mas na última foto desisti de defender.........
    bifobia... nada novo sob o sol
    nossa que dor Gi, nem sei como cê não abandonou o livro, eu teria feito isso LKJASKDLJSALKDJSAD
    mas espero que suas próximas leituras sejam melhores <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior que o 'jeitinho da escrita' não aparece no livro todo.
      Ele faz em algumas partes, tonando tudo ainda mais sentido.

      Infelizmente bifobia vemos em vários lugares :(

      Eu não abandonei porque queria expor a porcaria que li, haha.

      Obrigada por comentar.
      Volte sempre :*

      Excluir
  5. Nossa, que bom que tu leu e fez essa resenha. Já tirei o livro da minha lista. Seria uma decepção imensa, principalmente pela parte da bifobia.eio livros com romance gay para me sentir representada, e imaginar que em um livro LGBT exista bifobia é uma afronta. Oprimidos virando opressores, que tristeza. Que o autor melhore, não só na escrita mas principalmente na cidadania e no amor ao próximo!

    Eduarda Henker
    www.queriaestarlendo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor." - Paulo Freire

      O livro já estava sendo decepção, mas quando vi a bifobia fiquei muito decepcionada.
      Agora imagina alguém que quer se 'encontrar' (que não tem sua cabeça) lendo isso? Terrível!

      Que o autor melhor mesmo!

      Beijos.

      Excluir
  6. Passando longe!
    Muito obrigada pela informação, com toda certeza não irei ler rsrs.
    Eu até entendo quando a fala de personagens contem erros, para mostrar o jeito que ele se comunica, de forma mais natural... Agora emoticons já é muito estranho, né? Eu hein!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até entendo também, porém acho que tem outra forma de mostrar isso, mas os emoticons são o fim da picada.

      Obrigada pelo comentário.
      Beijos.

      Excluir
  7. Mds mulher eu tô ali jogada no chão, sabe?
    Eu sei que livro é arte e que não há uma "jeito certo" de escrever, vide Preciosa que é um livro maravilhoso, mas com uma escrita enervante. Mas pra eu ler tem um limite e esse limite é extrapolado quando aparecem coisas como nesse livro ai. Eu não leio nem FANFIC quando é feita dessa forma.
    Se tivesse comprado o livro teria me sentido roubada, sinceramente.
    Eu tinha ficado curiosa pela sua resenha quando vi que você começou a ler, porque né, livros com personagens principais homossexuais são tão raros. E ai vai lá e me esculhamba desse jeito.
    Sério, tô passada! Sinto muito que tenha sido uma experiência tão ruim para você, espero que a tua próxima leitura seja beeeem melhor <3

    ps: bifobia.... até quando mundo, ATÉ QUANDO?

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não leio fanfics escritas assim. Odeio!

      Super me senti roubada... olho para o livro e fico pensando o que fazer com aquilo?

      Bifóbicos (ノಠ益ಠ)ノ

      Beijos Bibs.

      Excluir
  8. O título "Fake" já me fez imaginar que esse escritor teve fake, e no orkut ou salas de jogos ruins de RPG fake a maioria "turnava" ou jogava narrando na mesma forma que ele colocou aí no livro. Cada personagem interpretava a si mesmo, então... tenho a impressão que ele escreveu, literalmente, como um jogo fake.
    O título me interessou porque achei que fosse rolar alguma história de fake que se apaixonou pelo jogador (a pessoa que interpreta e não o personagem), mas fiquei decepcionada ao ler sua resenha.
    que triste... espero que o autor melhore no futuro.
    Beijão, Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma boa interpretação do título, porém não tem nada disso :/
      Fake, no sentido de ficar fingindo ser uma pessoa que não é.

      Mas amei a sua ideia aí de livro haha Deveria escrever xD

      Beijão Mari.

      Excluir
  9. Mari, eu também imaginava algo bem do tipo. Até porque tive váaaaaarios fakes e já joguei nesse estilo, porém o enredo não tem nada disso, neah? (UMA PENA! ESCREVAM ALGO NESSA TEMÁTICA! OU ME INDIQUEM ALGUM!)

    ResponderExcluir